Novo aplicativo dissemina conhecimentos sobre educação integral para educadores e estudantes

Secretaria da Educação do Ceará e Instituto Ayrton Senna lançam conteúdo para trabalho em conjunto. Competências para a vida e novidades nas equipes são alguns dos temas abordados

27/11/2017 ás 14h14

EDUCAÇÃO INTEGRAL

A educação é um direito humano de todos os cidadãos. Mas quais aspectos são necessários para podermos afirmar que crianças e jovens estão, de fato, tendo acesso a esse direito? Sabemos, há muito tempo, que não basta conseguir uma vaga e estar na escola. Recentemente, estudos têm reforçado o que muitos educadores também já vivenciam na prática: tampouco basta dizer que foi ensinado o conteúdo previsto. Assim, o essencial para a garantia do direito à educação é oferecer oportunidade para o desenvolvimento pleno de cada estudante. Essa é a educação que queremos!

 

O que isso significa? É reconhecer que um estudante, assim como um educador, não é apenas um repositório de informações, e sim um sujeito que precisa se conhecer, conviver com os outros, saber as melhores formas de aprender ao longo da vida e produzir seu próprio caminho, nas escolhas de seus interesses pessoais e de trabalho. A educação que considera todos esses aspectos é a que chamamos de educação integral.

 

O reconhecimento da importância dessa educação não é novo no mundo educacional. Porém, a sua concretização ainda é um desafio em todo o Brasil. Muitos professores, coordenadores, diretores e gestores das redes de ensino se empenham para construir caminhos e oferecer esse direito à educação integral como via para o desenvolvimento humano. É possível contar com experiências bastante variadas para isso, mas em todas é preciso passar do discurso à prática, ou seja, mais do que falar sobre os objetivos da educação, a principal mudança virá de ações que trabalhem esses aspectos envolvidos na educação integral de forma intencional e eficaz.

 

Nesta parceria do Instituto Ayrton Senna com a Secretaria da Educação do Ceará, ao menos dois aspectos são essenciais para isso: a valorização do papel das competências (socioemocionais e cognitivas) na educação e o envolvimento de equipes multidisciplinares que possam utilizar metodologias para promover a formação integral de todos os estudantes.

 

 

Baixe aqui o cartaz de realidade aumentada para jogar!

 

Conheça melhor cada um deles a seguir.

 

 

COMPETÊNCIAS PARA A VIDA

A ideia da educação integral é de que é possível que a escola vá além da simples transmissão de conteúdo ou conhecimento dividido em disciplinas, que não conversam entre si nem com os desafios que os estudante e professores vivenciam em seu dia a dia. Essa proposta passa por construir situações em que, além de aprender o conteúdo, o aluno também pratique suas competências socioemocionais e cognitivas para usar o que aprendeu em situações reais. Assim, ele poderá conhecer cada vez melhor o seu potencial e utilizar esse potencial na vida, ao fazer escolhas com autonomia.

 

Falar do desenvolvimento de competências na escola não é, de forma alguma, reduzir a importância da aprendizagem do conteúdo das diversas áreas do conhecimento. Na realidade, é buscar formas de articular esses conhecimentos entre si e com os desafios que o aluno enfrenta ou enfrentará na sua vida, para que a escola e a educação façam mais sentido para ele. Assim, é possível trabalhar as competências de forma integrada ao dia a dia nas escolas.

 

Competência é a capacidade de mobilizar, articular e colocar em prática conhecimentos, valores, atitudes e habilidades, e pode envolver tanto aspectos cognitivos quanto socioemocionais. Em geral, os cognitivos estão mais relacionados a situações para interpretar, refletir, raciocinar, assimilar ideias complexas e generalizar aprendizados. Os aspectos socioemocionais são especialmente voltados para cada um se relacionar consigo mesmo (suas emoções, expectativas etc.), com os outros e com a busca por atingir objetivos mesmo enfrentando desafios.

 

PAPEL DA COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIOMAIS

Estudos revelam que alunos que conhecem e desenvolvem suas competências socioemocionais podem ter mais oportunidades de melhorar seu desempenho na escola e obter diversas realizações ao longo da vida, seja no trabalho, nos relacionamentos, na saúde, entre outros resultados. Assim, essas competências são tão importantes quanto o aspecto cognitivo para a aprendizagem na escola e aceleram ainda mais as conquistas da formação integral.

 

Os estudos também mostram que essas competências são maleáveis (portanto não são fixas ou imutáveis) durante toda a vida, ou seja, uma criança que tem menos autoconfiança ou capacidade de organização em um momento da vida não precisa seguir assim até sair da adolescência. Pelo contrário, se ela tiver oportunidades adequadas, pode desenvolver essas competências, assim como a capacidade de coloca-las em prática em diversas situações.

 

É importante reforçar que a criação de oportunidades para esse desenvolvimento deve respeitar, sempre, a diversidade que existe entre os estudantes, valorizar as formas variadas em que cada um, à sua maneira, decide quais competências quer desenvolver e de que forma quer utilizá-las em sua vida. Não se trata de adequar os estudantes a um único jeito de viver, ou a se enquadrar em um padrão, mas sim de auxiliá-los a viver de forma mais plena aquilo que eles escolherem para si!

 

DESENVOLVIMENTO DAS COMPETÊNCIAS

O compromisso da educação, no que diz respeito às competências socioemocionais, é de criar alternativas pedagógicas adequadas ao desenvolvimento pleno. Essa experiência será cada vez melhor e mais efetiva se partir de um conhecimento sobre as características dos estudantes, seus potenciais e pontos que podem ser mais destacados na formação.

 

Uma das formas de apoiar professores a promover o processo formativo e fazer esse reconhecimento dos alunos para mediar as melhores estratégias para o desenvolvimento de cada um é o chamado acompanhamento formativo. O acompanhamento formativo visa dar subsídios ao aluno para que alcance objetivos de desenvolvimento pré-acordados com o professor. Para isso, a dupla professor-aluno define um percurso, propõe atividades nas quais o aluno tem a chance de progredir, checa a aprendizagem por meio de feedbacks ao longo do caminho e corrige a rota quantas vezes forem necessárias buscando o melhor resultado possível para aquela situação.

 

O acompanhamento formativo é feito pelo monitoramento explícito e intencional do desenvolvimento de cada aluno, fornecendo um suporte ao estudante e ao professor ao longo do processo de aprendizagem. Com essa metodologia, é possível identificar avanços e desafios que precisam ser priorizados nas próximas ações de formação.

 

Essa forma de monitoramento traz uma visão que respeita as trajetórias individuais (já que a formação dessas competências não é nem deve ser igual para todos os estudantes, muito menos deve estar no nível máximo em todas as situações) e que contextualiza o processo formativo (há contextos em que um jovem extrovertido pode ficar mais introvertido, ou estudante que em geral é responsável pode passar por uma situação em que não deseja ser assim). É importante que essa metodologia seja:

 

- Transparente: A todo momento os estudantes sabem qual a competência é desenvolvida e observada e o que se espera deles (qual o objetivo para cada um, o que fará ele progredir entre níveis);

- Dinâmica: O educador propõe atividades que realmente permitam um avanço no desenvolvimento das competências, de forma conectada aos indicadores de cada nível da avaliação;

- Reflexiva: O estudante se autoavalia, indicando qual foi seu desempenho nos indicadores analisados e reunindo evidências para isso. Uma conversa de feedback entre aluno e professor possibilita a mediação sobre a percepção do estudante e os caminhos para avançar;

- Diversificada: A avaliação formativa deve respeitar os diferentes ritmos de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes.

 

QUEM SE ENVOLVE?

Para realizar um trabalho que contemple todos esses aspectos na escola, é importante contar com uma equipe multidisciplinar, e que todos estejam engajados com essa perspectiva de educação integral.

 

Nesta equipe, além do professor, que está mais diretamente relacionado com a aprendizagem e o desenvolvimento dos estudantes, há também um conjunto amplo de profissionais que podem contribuir com expertises diversas, como o coordenador pedagógico, o diretor, os educadores das regionais de ensino e da Secretaria da Educação. Um desses profissionais é o psicólogo educacional.

 

COMO É A ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO EDUCACIONAL

Quando um psicólogo está na escola, seu papel não é o de fazer terapia ou atendimento clínico, como muitas pessoas podem imaginar. A formação em Psicologia é bastante ampla, e possibilita que o profissional atue em várias frentes, muito variadas entre si. Nas escolas, essa atuação está focada nos aspectos pedagógicos, da promoção da aprendizagem e do desenvolvimento integral do estudante.

 

Isso significa que o psicólogo educacional atua nas escolas para fornecer um apoio às equipes, utilizando sua expertise nos processos de desenvolvimento humano para fortalecer aquilo que os educadores já fazem e auxiliar no esforço de dar foco e intencionalidade no desenvolvimento das competências socioemocionais. Quem vive o dia a dia das escolas sabe que a maior parte dos desafios não é solucionada apenas por uma pessoa isoladamente, e sim por um conjunto de profissionais em atuação colaborativa. É nesse sentido que o psicólogo participa das ações nas escolas: colaborativamente. Seja apoiando a atuação e formação de professores, auxiliando no uso de metodologias formativas ou na busca por mais foco e intencionalidade do desenvolvimento de cada aluno.

 

No Ceará, uma iniciativa da Secretaria Estadual de Educação possibilitou que uma equipe de psicólogos seja especialmente preparada para essa aproximação com as escolas. Após solicitação da Secretaria, o Instituto Ayrton Senna passou a apoiar essa formação.

 

O objetivo é que esses profissionais possam desenvolver ações para fazer a ponte entre as escolas e a Secretaria da Educação para reunir informações acerca do desenvolvimento dos alunos, compartilhar as evidências entre as equipes (das escolas, regionais e Secretaria), utilizando esses dados como embasamento para auxiliar ações formativas de professores tendo em vista a busca por melhores práticas que favoreçam a educação integral nas escolas. Os psicólogos educacionais trabalharão em parceria com os Coordenadores Regionais do Programa Professor Diretor de Turma (CRPPDT), que seguem desempenhando seu papel nas regionais de ensino. Para facilitar a elaboração de estratégias que contribuam para o desenvolvimento das competências, eles poderão:

  • Potencializar o trabalho pedagógico na escola.
  • Ter uma visão integrada das atividades que a escola já desenvolve.
  • Sentir a escola e os seus desafios e ajudá-la a desenvolver melhor sua prática educativa.
  • Auxiliar o desenvolvimento dos estudantes a partir da perspectiva da educação integral, em um conjunto específico de competências.

 

Nesse desenho, os psicólogos educacionais são atores que fazem a ponte entre a escola e a Secretaria para cuidar dos assuntos relacionados ao desenvolvimento integral. Eles potencializam o trabalho pedagógico da escola, facilitando a implementação de estratégias que contribuam para o desenvolvimento integral dos estudantes, a partir do conhecimento profundo dos desafios da escola. Dessa forma, essa equipe vai atuar com enfoque pedagógico, nos seguintes eixos:

 

I - Mapeamento de informações sobre o aprendizado dos alunos

Os psicólogos farão constante levantamento de informações sobre o aprendizado dos alunos e sobre seu desenvolvimento no contexto das competências socioemocionais, conhecendo profundamente o cotidiano da escola, as formas em que as competências socioemocionais aparecem no trabalho das equipes e como projetos desenvolvidos têm auxiliado para a formação integral dos estudantes, além de informações sobre o clima escolar.

 

II – Parceria com professores

Nesse eixo, os psicólogos realizarão atividades para apoiar as escolas na condução de iniciativas para o desenvolvimento integral dos alunos, especialmente pela via das competências socioemocionais. Com apoio de metodologias específicas, trabalharão na articulação dos programas existentes, participarão de formações de professores com esse foco, acompanhando as ações de forma a contribuir com o conhecimento que tiverem sobre o tema, por exemplo compartilhando palestras sobre a importância e o desenvolvimento das competências e analisando os programas voltados para este fim.

 

III – Conhecimento compartilhado

Para ampliar as possibilidades de integração entre as diversas iniciativas, nesse eixo os psicólogos irão compartilhar o conhecimento que reúnem e produzem sobre pontos fortes e desafios dos programas de socioemocionais realizados nas escolas. Dessa forma, irão sistematizar as informações que reunirem, conduzindo a disseminação desses casos e a indicação de encaminhamentos em situações específicas.

 

TRABALHO EM PARCERIA

A parceria entre a Secretaria da Educação do Ceará e o Instituto Ayrton Senna parte do reconhecimento mútuo de que todos os envolvidos possuem experiências e conhecimentos para contribuir entre si e com o desenvolvimento integral de estudantes e profissionais.

 

A parceria foi oficializada com a assinatura do termo de compromisso que estabeleceu alguns dos aspectos essenciais para a colaboração. Entre outras características, os trabalhos irão buscar construir uma visão comum de educação integral e de competências para o século 21. Isso inclui a realização de diagnósticos sobre o estado atual do tema na educação, o compartilhamento de conceitos e modelos existentes por meio de fóruns com especialistas, tanto sobre a educação integral quanto sobre as competências socioemocionais e um alinhamento de propósitos articulados em planos de ação para toda a rede.

 

Os dois parceiros contam com o pressuposto de que as equipes são protagonistas na realização das transformações que todos queremos na educação. Por isso, as ações valorizam também a participação e a formação integral dos educadores e profissionais envolvidos nas diversas iniciativas que contribuem para o objetivo comum: formar estudantes autônomos e preparados para o século 21. Compartilhe suas dúvidas e as contribuições que gostaria de acrescentar a essa proposta, em construção contínua e colaborativa!

 

SOBRE O INSTITUTO AYRTON SENNA

Educação é a melhor maneira de mudar o mundo. Essa é a crença do Instituto Ayrton Senna. Por isso, as equipes do Instituto trabalham para desenvolver o potencial das novas gerações por meio de uma educação integral, que amplie suas oportunidades de vida e as torne agentes de transformação.

 

Amparado na ética da corresponsabilidade, e em parceria com redes públicas de ensino, profissionais de educação, pesquisadores de diversas áreas do conhecimento e demais atores sociais, o Instituto atua para transformar a realidade das escolas. Para isso, promove inovações no desenho e na implementação de práticas e políticas educacionais. Ao mesmo tempo, advoga ideias, mobiliza vontades e desenvolve competências, somando forças para contribuir com a melhoria sistêmica da educação no Brasil.

 

Partindo dos principais desafios da educação identificados por educadores com quem trabalha no dia a dia, o Instituto está em permanente processo de inovação, investigando continuamente novos conhecimentos dos diversos campos científicos. Toda a produção é compartilhada com os principais atores do campo educacional, por meio de iniciativas de formação, difusão, assessoria técnica e transferência de tecnologia.

 

As iniciativas são financiadas principalmente por doações, recursos de licenciamento e por parcerias.

 


eduLab21

O eduLab21 é um laboratório dedicado à produção e disseminação de conhecimento científico para apoiar a formulação de políticas públicas para uma educação integral e de qualidade. Iniciativa do Instituto Ayrton Senna, o laboratório reúne uma rede multidisciplinar de parceiros ao redor do mundo, entre universidades, pesquisadores, organizações internacionais e gestores de políticas educacionais.

 

A missão do eduLab21 é apoiar a busca por respostas para questões crucias da educação a partir da contribuição das ciências. Para isso, promove o debate entre pesquisadores provenientes de várias ciências e entre estes, educadores e gestores da educação, visando produzir soluções que sejam conectadas com a sala de aula, relevantes às redes de ensino e baseadas em evidências científicas.

 

O eduLab21 incentiva a produção de novos conhecimentos e o mapeamento de informações existentes sobre as competências importantes para a vida no século 21, como desenvolvê-las na escola e como avaliar as iniciativas destinadas ao seu desenvolvimento. Esses conhecimentos, ainda em construção, estão sendo produzidos em parceria com as redes de ensino, universidades, pesquisadores, organizações da sociedade civil e instituições internacionais.


Equipe SEDUC-CE:

GOVERNADOR
Camilo Santana

VICE-GOVERNADORA
Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO

Antonio Idilvan de Lima Alencar

SECRETÁRIA ADJUNTA DA EDUCAÇÃO

Márcia Oliveira Cavalcante Campos

SECRETÁRIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO

Rita de Cássia Tavares Colares 

COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA E DA APRENDIZAGEM (CODEA)

Maria da Conceição Ávila de Mesquita Viñas

Protagonismo Estudantil, Empreendedorismo, Emprego e Renda: Maria Josimar Saraiva do Nascimento

Gestão Escolar: Maria Elizabete de Araújo

Diversidade e Inclusão Educacional: Nohemy Rezende Ibanez

Gestão Pedagógica: Rogers Vasconcelos

Equipe Técnica CODEA/Gestão Pedagógica:

Iane Nobre

Ceiça Alexandre

Renata leite

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

 

http://institutoayrtonsenna.org.br/content/institutoayrtonsenna/pt-br/conteudo/noticias/_2017/junho_julho/29ago.html

 

http://www.institutoayrtonsenna.org.br/todas-as-noticias/educadores-mostram-como-incorporar-competencias-socioemocionais-na-escola/

 

O Povo (21/08/17) http://www.opovo.com.br/jornal/paginasazuis/2017/08/a-educacao-precisa-ver-alem-de-habilidades-cognitivas.html

 

O Povo (29/08/17) http://www.opovo.com.br/jornal/cotidiano/2017/08/parceria-estimula-competencias-emocionais-na-escola.html

 

Diário do Nordeste (29/08/17) http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/estado-e-instituto-assinam-parceria-1.1811845

 

O Estado (29/08/17) http://www.oestadoce.com.br/geral/pacto-com-instituto-ayrton-senna-visa-promocao-da-educacao-em-tempo-integral

 

Lázaro Medeiros (29/08/17) http://www.lazaromedeiros.com.br/noticias/ceara-assina-termo-de-cooperacao-com-instituto-ayrton-senna/

 



Secretaria da Educação do Ceará - Av. Gen. Afonso Albuquerque lima, s/n - Cambeba - Fortaleza - Ceará | CEP: 60.822-325
Governo do Estado do Ceará. Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido por SEDUC / ASTIN